Dr.Turba

Dr.Turba
Consumo de café grego está associado à melhoria da função endotelial, no Ikaria Study, publicado pelo periódico Vascular Medicine
O consumo de café grego fervido, o qual é rico em polifenois e antioxidantes e contém apenas uma quantidade moderada de cafeína, foi associado à melhoria da função endotelial no Ikaria Study, publicado pelo periódico Vascular Medicine e desenvolvido por colaboradores da University of Athens Medical School, na Grécia.
A associação entre o consumo de café e as doenças cardiovasculares continua a ser controversa. A função endotelial está associada ao risco cardiovascular. Com o objetivo de estudar tal relação, foi avaliado o consumo crônico de café e a função endotelial de idosos habitantes da ilha de Ikaria, na Grécia. Não é de hoje que os cientistas já investigam o segredo da longevidade dos oito mil moradores da Ilha de Ikaria, no leste da Grécia, que vivem em média dez anos a mais que a maioria dos europeus e apresentam uma saúde muito melhor no final de suas vidas.
A análise foi conduzida em 142 idosos (com idades entre 66 e 91 anos) no estudo denominado Ikaria Study. A função endotelial foi avaliada por ultrassonografia medindo a dilatação mediada por fluxo (FMD). O consumo de café foi baseado em questionários sobre frequência alimentar e classificado em consumo “baixo” (< 200 ml/dia), “moderado” (200 a 450 ml/dia) ou “alto” (> 450 ml/dia).
Nos indivíduos que fizeram parte do estudo, 87% consumiam café grego fervido. Além disso, o consumo era:
  • Baixo” em 40% deles.
  • Moderado” em 48% deles.
  • Alto” em 13% deles.
Houve um aumento linear da dilatação mediada por fluxo (FMD) de acordo com o consumo de café ("baixo": 4,33 ± 2,51% versus “moderado”: 5,39 ± 3,09% versus “alto”: 6,47 ± 2,72%, com p = 0,032).
Concluiu-se que o consumo crônico de café grego fervido está associado à melhoria da função endotelial em indivíduos idosos, proporcionando uma nova ligação entre a nutrição e a saúde vascular.