Dr.Turba

Dr.Turba

Pressão Arterial e o Chocolate

Photobucket

Efeitos do chocolate meio amargo em pequenas quantidades na pressão arterial e óxido nítrico bioativo: estudo randomizado

Para a redução da pressão arterial é recomendada uma dieta rica em frutas em frutas e vegetais. Apesar de uma variedade de fatores contribuírem para os efeitos benéficos dos vegetais, tem sido dirigida atenção aos polifenóis das plantas. Além das frutas e dos vegetais, produtos derivados do cacau contribuem para a maior proporção do total de polifenóis ingeridos. O consumo de derivados do cacau ricos em flavonóides promoveu uma redução da pressão arterial e melhora da função endotelial. É postulado que os flavonóides estimulam a formação de óxido nítrico endotelial, promovendo vasodilatação e redução da pressão arterial. Entretanto, estes efeitos foram verificados com altas doses de cacau, cerca de 100 g de chocolate ao dia, o que é acima do consumo habitual e com seguimento de apenas duas semanas.

Portanto, as evidências para o uso clínico do cacau para redução de pressão arterial são insuficientes. Existe também a preocupação de que os efeitos benéficos do cacau sejam ofuscados pelo açúcar, pelas gorduras e pelo seu alto teor energético.

O objetivo deste estudo foi avaliação da eficácia clínica de pequenas doses em uso do cacau para a redução de pressão arterial e a avaliação se o estímulo da síntese do óxido nítrico pelos polifenóis do cacau são os responsáveis pela redução da pressão arterial.

Quarenta e quatro adultos com hipertensão leve ou estágio 1, na ausência de outros fatores de risco, foram randomizados para receberem 6,3g, equivalente um tablete de chocolate (30mg de polifenóis, durante 18 semanas, ou chocolate branco, sem polifenóis como placebo.

No grupo tratado com chocolate meio amargo foi verificada uma redução da pressão arterial sistólica de 2,9mmHg e diastólica de 1,9mmHg, sem qualquer alteração no peso corpóreo e nos níveis plasmáticos de lipídios ou glicose. A redução da pressão arterial foi acompanhada de uma elevação sustentada de SO-nitrosoglutationa e a identificação de fenóis do cacau no plasma. O chocolate branco não causou mudanças na pressão arterial ou na dosagem de biomarcadores plasmáticos.

Os autores concluem que nessa pequena amostra de indivíduos saudáveis com níveis discretamente elevados de pressão arterial , a adição de pequenas quantidades diárias de chocolate meio amargo, rico em: polifenóis, reduziu a pressão arterial e promoveu a formação de óxido nítrico.

TaubertD, Roesen R,

Lehmann Getal.

Departments of Pharmacology and Internal Medicine

University Hospital of Cologne, Cologne, Germany

TOSSE COMO COMBATER

Photobucket

Antes de qualquer medicação devemos sempre saber a origem da Tosse, isto deve ser feito por um médico.

Vamos aqui ensinar um xarope natural e simples para combater a tosse

Vamos ver primeiro a característica dos componentes:

Mel

Mel é uma substância doce obtida a partir do néctar das flores ou das secreções provenientes de partes vivas das plantas ou que sobre elas se encontram e que as abelhas melificas libam, transformam e combinam com matérias específicas, armazenando-a depois em favos da colméia. O mel é um produto biológico muito complexo a sua composição varia notavelmente como conseqüência da florada que lhe deu origem, e das condições climáticas de cada região. A diferença entre um mel e outro resulta fundamentalmente da quantidade e qualidade de plantas que florescem e produzem néctar. Em muitos casos há uma flora que predomina nitidamente em alguns méis, conferindo-lhes características muitos peculiares, com sabor e coloração .

Em cada 100 g de mel encontramos aproximadamente:

  • Ácido pantotênico ____________ 105 mg.
  • Proteínas e aminoácidos _______ 4,7mg.
  • Hidratos de carbono __________ 70 mg.
  • Água _______________________ 18 mg.
  • Vitamina B1 __________________ 6 mg.
  • Vitamina B2 __________________ 61 mg.
  • Vitamina B3 __________________ 300 mg.
  • Vitamina PP __________________ 0,3 mg.
  • Vitamina C __________________ 2,5 mg.
  • Enzimas (Invertase e amilase).
  • Minerais (Ca;Mg;K;Na;Cl;S;Fe;Si;Cu;etc.).
  • Ácidos: Fólico, Láctico, Fórmico, Málico, oxálico, tartárico, tânico, cítrico e acético.
  • Colina e acetilcolina.

Com essa riqueza de elementos, os nutricionistas chegaram à conclusão que 1000 g de mel puro, equivale a 9000 g de cenoura; 5400 g de maçãs; 4000 g de ameixas; 2600 g de carne de boi; 1400 g de carne de porco; 4200 g de uvas; 3600 g de ervilhas; 1000 g de nozes; 675 g de queijo; 40 laranjas e 21 bananas.

Outras indicações medicinais do mel:

a) Para pessoas sadias:

  • Amenizar as insuficiências alimentares eventuais em aminoácidos, sais minerais, vitaminas, etc.
  • Facilitar a assimilação e a digestão de outros alimentos.
  • Reforçar o organismo em sua luta contra agressões.
  • Dar ao organismo maior resistência contra o cansaço físico e intelectual em ocasião de atividades intensas.
  • Dar ao organismo melhor rendimento, principalmente, aos atletas.

b) Para doentes em casos de:

  • Astenia em casos de cansaço físico ou mental.
  • Anorexia ou perda de apetite.
  • Desnutrição (principalmente para crianças).
  • Deficiência constitucional.
  • Atraso de crescimento.
  • Má dentição.
  • Prisão de ventre.
  • Úlceras gastrintestinais.
  • Anemias (indica-se o mel escuro).
  • Conjuntivites.
  • Bronquites.
  • Tosses.
  • Hipoglicemias.
  • Nefrites (o mel é diurético).
  • Insônia.
  • úlceras dermatológicas.
  • Queimaduras ( aplicação local).
  • Emagrecimento sem etiologia precisa.

Própolis

Utilizada desde a Antiguidade pelos sacerdotes egípcios e pelos filósofos gregos, a própolis é uma substância resinosa que as abelhas coletam em botões e córtex vegetais, transportam para a colméia, na corbícula, e adicionam a ela pólen, cera e secreções da glândula salivar. Hoje, conhecem-se inúmeras substâncias dessas secreções, e elas têm propriedades antibióticas, aplicáveis as diversas cepas bacterianas, além de propriedades cicatrizantes, antiinflamatórias e desinfetantes. Sua composição química é a seguinte: 55 % de resinas e bálsamo, 30 % de cera, 10 % de óleos voláteis e 5 % de pólen. As abelhas precisam ter a colméia toda vedada, para proteger o Mel, e a Geléia Real, as larvas, a Rainha e as Operárias. Assim é a própolis feita pela própria abelha para vedar a colméia. Tem cor preta, é sólida e só se transforma em produto para consumo após ser dissolvida em álcool de cereais. A própolis pode ser retirada sem destruir a colméia, com espátulas especiais. Uma colméia pode fornecer uma quantidade boa de material. O homem passou a utilizar a própolis como remédio caseiro, como antiinflamatório, para dores de garganta, gripes e combate a infecções, embora a medicina oficial não reconheça provas de curas por meio dela. Própolis é um produto antialérgico e antiinfeccioso, um medicamento extraordinário no combate às doenças das vias respiratórias. É um antibiótico natural colhido pelas abelhas, não produz efeitos colaterais, não destrói a flora intestinal, não afeta os rins ou o fígado, porque é eliminado naturalmente pelo organismo. A própolis consegue-se os mesmos feitos da penicilina, estreptomicina, terramicina, cloranfenicol e outros poderosos antibióticos, sem causar nenhum mal ao homem.

Agrião

No agrião encontra-se óleo essencial, iodo, ferro, açúcar, sulfato ácido de potássio. O agrião contém heterosídeos senevólicos (tioglicósidos), caracterizados por apresentarem enxofre em sua molécula, em particular o gluconasturcósido (B-I-S-D-glucopiranósido).

Formula do xarope

Extrato Fluido de Agrião.............15ml

Extrato de Própolis...................6 ml

Mel qsp................................300g

Ação

O extrato fluido de agrião é reconhecidamente útil em casos de necessidade de facilitação da expectoração brônquica, em casos de infecções respiratórias. É associado o mel e a própolis, dois derivados de abelhas que são igualmente importantes e úteis na melhora de processos infecciosos e inflamatórios das vias respiratórias. Como tratamento auxiliar recomenda-se uma boa hidratação durante o tratamento de modo a possibilitar a eliminação secreções respiratórias que precisam de líquidos para serem eliminadas. Recomenda-se cautela em pessoas alérgicas a picada de abelhas.