Dr.Turba

Dr.Turba

Prisão de Ventre


Obstipação:
Também chamado de
"Prisão de Ventre".
Consiste na eliminação difícil de
fezes endurecidas, com
intervalos maiores do que os
normais.
-A simples diminuição da freqüência das evacuações, mas com fezes de consistência normal, não deve ser considerada obstipação. É difícil muitas vezes estabelecer um limite preciso entre o normal e o patológico a esse respeito.
-Uma obstipação de aparecimento súbito e inexplicável deve fazer pensar em doença orgânica, como, por exemplo, tumor do reto, sigmóide ou bacia, aderências, estreitamento, diverticulite etc.
Fadiga, tensão emocional, erros dietéticos continuados e abusos de laxativos ou clisteres são fatores capazes de dar início ou perpetuar a prisão de ventre, que muitas vezes tem início na infância ou adolescência. Em todos os casos deve-se afastar a possibilidade de hipotireoidismo.
-A obstipação constitui complicação freqüente de inatividade física, permanência prolongada no leito, doença infecciosa aguda, parto e período pós-operatório. Os seguintes medicamentos podem causar obstipação: opiáceos, difenoxilato, beladona, anticolinérgicos, sais de bismuto, cálcio ou ferro, hidróxido de alumínio e fosfato de alumínio.
Medicação:
-DIETÉTICA É importante identificar as circunstâncias em que a obstipação está processando, a fim de que os fatores determinantes sejam se possível removidos. Deve-se prescrever uma dieta rica em resíduos. É obtida
aumentando-se na dieta normal a quantidade de verduras e frutas ricas em resíduos e substituindo-se as farinhas e os cereais refinados por produtos integrais, o açúcar refinado por mel, devendo-se ingerir no mínimo 6 a 8 copos de água por dia. Encorajar as atividades físicas, especialmente no sentido de aumentar a tonicidade da musculatura abdominal.
- PLANTAS MEDICINAIS Os laxativos leves podem ser prescritos, mas deve-se evitar o uso de clisteres e purgativos fortes.
-Cáscara Sagrada "Rhamnus purshiana D.C.”, estomáquica, estimulante das funções gástricas e do fígado, laxativa, mas pode causar cólicas, gestantes consultar o médico.
-Ruibarbo chinês "Rheum palmatum L.”, laxante e adstringente. Dependendo da dose e de como é administrada, o rizoma trata tanto a prisão de ventre quanto a diarréia.
-Babosa "Aloe vera", laxante suave, indicado quando há "Empacamento Fecal", mas contra indicado para pessoas que sofrem de Hemorróidas e gestantes, a aplicação sem conhecimento pode provocar Nefrite.
-Alcaçuz "Periandra dulcis", laxativa, sedativa. Não abusar do consumo, pois provoca hipertensão arterial.
-Sene "Cassia occidentalis L.", laxante de contacto e causa cólicas. Cautela no uso, uma vez doses muito freqüentes ou excessivas podem resultar em sintomas de lesão hepática.
-Funcho "Foeniculum vulgare", antiespasmódico e digestivo. Deve-se manipular juntamente com os laxantes que causam cólicas, para aliviar este sintoma.
-Dente de Leão "Taraxacum officinale Web.", laxante e colerético, a sua ação como laxante não causa cólicas.
-Linho "Linum angustifolium Huds.", emoliente e laxante sem irritação intestinal (sem cólicas).
Deve- se sempre consultar um médico, antes
de consumir qualquer erva. Deve-se sempre Ter um diagnóstico correto, pois um simples sintoma de prisão de ventre, para o leigo, poderá ser uma Atonia e obstrução intestinal ou estenose.